CANCUN: UM DIA NO PARQUE ECOLÓGICO XCARET

Um dos passeios mais procurados por quem viaja para Cancun é a visita ao Xcaret, um grande parque ecológico localizado na Riviera Maya junto ao mar do caribe mexicano que oferece dezenas de atividades que envolvem natureza e cultura, com muitos animais, praia privativa, rios subterrâneos, apresentações artísticas, tradições mexicanas, gastronomia e muita diversão. Quando estive em Cancun reservei um dia do meu roteiro para conhecer o parque e mostro neste post como foi a minha visita.


Praia do Parque Xcaret


COMO CHEGAR

O Xcaret funciona todos os dias do ano, das 8h30 às 22h30. Ele está localizado a cerca de 80 km da Zona Hoteleira de Cancun, numa viagem que dura um pouco mais de uma hora. O acesso ao parque se dá pela Carretera Cancun-Tulum, a principal rodovia na costa da Riviera Maya. Na estrada há dezenas de placas indicando a distância que falta para chegar ao Xcaret e o seu trevo de acesso, que pode ser visto na imagem abaixo, possui uma grande placa com o nome parque.

Para ir de ônibus ao Xcaret, há linhas da empresa ADO saindo das rodoviárias de Cancun no início da manhã rumo ao parque, com retorno no final da tarde e à noite. Os preços e horários podem ser consultados diretamente no site da empresa, selecionando na busca o nome da cidade de partida no item ¿De dónde sales?  e o nome do parque Xcaret no item ¿A dónde vas?.

Outra opção para visitá-lo é contratando o serviço de empresas de turismo locais que oferecem translado e ingresso para o parque. A maioria dos hotéis e resorts disponibilizam este tipo de serviço através de parcerias com operadoras locais. Há ainda o transporte oficial do parque, que pode ser contratado ao comprar o ingresso pelo site do Xcaret.


Trevo de acesso ao Xcaret na rodovia


INGRESSOS

Há basicamente dois tipos de entrada para o Xcaret: o básico, que custa 99 dólares por pessoa; e o “Plus”, que tem o custo de 129 dólares por pessoa. Crianças de 5 a 11 anos pagam meia entrada e os menores de 5 anos tem entrada gratuita.

Os dois tipos de ingresso permitem visitar a praia, o rio subterrâneo, o aquário, assistir aos shows, entre várias outras atrações do parque, além do uso de coletes salva-vidas, boias, vestiários e chuveiros. A diferença principal entre os dois tipos de ingresso é que o “Plus” inclui um almoço com buffet e bebidas, permite o uso de armários guarda-volumes e também o empréstimo de snorkel para praticar o mergulho. Quem compra o ingresso básico precisa pagar à parte pelo almoço e pelo uso de armários e snorkel.

Os ingressos podem ser comprados na bilheteria local, com agências de turismo ou ainda pelo site do parque. A compra on-line dá descontos de 10% a 15% no valor do ingresso, permite contratar o serviço de transporte oficial do parque e ainda oferece valores mais baixos na compra da combinação do ingresso do Xcaret com outros parques do grupo, como o Xel-Há e o Xplor.


Entrada do parque Xcaret

O parque possui atividades opcionais que não estão incluídas nos ingressos básicos ou Plus e precisam ser pagar à parte, como o mergulho com golfinhos, o nado com tubarões, o encontro com as arraias, os mergulhos Sea Trek e Snuba, entre outras. Eu não fiz nenhuma dessas atividades no parque, mas vi algumas acontecendo, como esta da imagem abaixo, onde uma mãe corajosa levou seus filhos para o encontro com um tubarão.


Atividade opcional com tubarão


Dentro do Xcaret só é permitido o uso de protetor solar biodegradável, produto que pode ser comprado no próprio parque ou em farmácias e supermercados de Cancun e região. A grande maioria dos protetores solares vendidos aqui no Brasil não são biodegradáveis e agridem a natureza, por isso não são permitidos no parque. Eu fui advertido por um funcionário do parque que me viu utilizar um protetor que não era biodegradável e ele me deu um sachê do protetor permitido, mas o ideal é comprar o produto para evitar incomodações.

Na entrada do parque, próximo às bilheterias, há um quiosque para você deixar guardado seu protetor solar convencional, como se fosse um guarda-volumes de protetor. Ali você deixa o seu protetor para pegá-lo de volta quando for embora e também pode aproveitar para comprar o protetor biodegradável. Não lembro o preço, mas sei que no parque ele custa bem mais que nas lojas da cidade.


Bilheterias e quiosque para pegar protetor solar biodegradável


O Xcaret ocupa uma área imensa e para guiar-se por lá é fundamental ter um mapa do local em mãos. Há vários painéis com o mapa espalhados pelo parque e também é possível pegar uma versão impressa na entrada.


Mapa do parque


Para facilitar o deslocamento dentro do parque foram criadas diferentes rotas, que podem ser encontradas no mapa através de linhas coloridas, como, por exemplo, a rota do aquário (azul) e a rota da estrada do rio (preta). Estas rotas são identificadas facilmente no chão do parque através de pedras coloridas que foram colocadas junto às calçadas para auxiliar na orientação dos visitantes.


Rota dentro do parque com marcação preta no chão


CULTURA

Na minha visita ao Xcaret optei por começar o meu passeio pela parte “molhada”, como a praia e o rio subterrâneo, deixando os animais e as atrações culturais, para mais tarde.

O cemitério mexicano é uma reprodução de capelinhas coloridas em miniatura que representam uma característica bem marcante da cultura do país que tem o “Dia dos Mortos” como uma das suas principais festas populares.


Cemitério Mexicano


Abaixo desse cemitério há surpresa escondida, uma gruta bem interessante para se visitar.


Gruta abaixo do cemitério mexicano


Ali perto fica a “Casa dos Murmúrios”, uma construção de tijolinhos à vista que funciona como uma loja, vendendo várias caveirinhas e objetos relacionados à religião, cultura mexicana e à temática do Dia dos Mortos.  A casa tem este nome pois o formato de sua construção em forma de cúpula cria uma acústica peculiar que permite ouvir murmúrios pelos seus cantos quando alguém que está posicionado bem na parte central do edifício fala algo, mesmo que baixinho.


Casa dos Murmúrios


Casa dos Murmúrios


Ainda no tema religião, há duas grandes capelas no parque. Uma delas é a Capela de São Francisco de Assis, que fica num ponto mais elevado do parque e tem um altar com vista para o mar.


Capela de São Francisco de Assis


A outra é a Capela de Guadalupe, cujo altar é rodeado de água, como se fosse um cenote natural. Nos bancos desta capela há vários bonecos de papel sentados e representando personagens bem famosos da cultura mexicana, entre eles a pintora Frida Kahlo e o famoso personagem Chapolin Colorado.


Capela de Guadalupe


ANIMAIS

O parque também funciona como uma espécie de zoológico e lá encontram-se vários animais da fauna mexicana, com destaque para a grande quantidade de aves, entre elas muitos flamingos e araras.


Flamingos


Araras


O “Mariposario”, uma área verde dedicada às borboletas, com direito a cascatas d’água e muitas árvores, num ambiente fechado com telas e utilizado para conservação e reprodução das espécies. É possível entender todo o funcionamento da metamorfose da borboleta ao conhecer todas as suas etapas de vida, desde o pequeno ovo colocado nas plantas, passando pela fase de lagarta, casulo e a vida adulta.


Mariposário


Entre os animais do parque há ainda macacos, antas, jaguares e outros mamíferos.


Macacos


As iguanas estão por todos os cantos e é bem comum encontrar uma delas no meio do caminho. Elas são encontradas não só no Xcaret como em vários outros locais, até nas cidades de Cancun e por toda a Riviera Maya.


Iguana no Xcaret


PRAIA E MERGULHO

Junto ao mar do caribe mexicano fica a praia do Xcaret, que pode ser frequentada por todos os visitantes do parque e que oferece boias, cadeiras, proteções com sombra e serviço de bar. Não é uma praia muito grande, mas possui o mar bem calmo e com água cristalina.


Praia do parque


Praia do parque


O mar aberto fica ali bem próximo à praia, mas seu acesso é restrito por questões de segurança, já que é bem agitado fora dos limites do parque.


Acesso ao mar


A palavra Xcaret significa “pequena enseada” e o parque tem este nome justamente porque há uma pequena enseada em sua área, localizada bem próxima à praia. É nela que ocorre o mergulho com snorkel. O equipamento está incluído no ingresso “Plus”, mas pode ser alugado na hora por quem tem o ingresso básico.


Enseada para mergulhar com snorkel


Enseada para mergulhar com snorkel


Nesta área próxima ao mar também fica o aquário do Xcaret, com diversas espécies de peixes e outros animais marinhos, como medusas, ouriços, esponjas e arrecifes de corais. Na parte externa há piscinas com arraias e uma área dedicada às tartarugas, com uma grande quantidade delas, nos mais variados tamanhos e tipos.


Aquário do Xcaret


Peixes e corais


Medusas no aquário


Arraias


RIO SUBTERRÂNEO

A atração que eu mais gostei no Xcaret foi o rio subterrâneo, um conjunto de rios com mais de 600 metros de extensão que atravessam todo o parque. É comum você estar caminhando entre uma atração e outra dentro do parque e encontrar várias pessoas nadando por algum trecho aberto dos rios subterrâneos.


Rio subterrâneo no Xcaret


Para entrar no rio é preciso livrar-se de todos os pertences, pois a entrada na água acontece apenas com colete salva-vidas e nadadeiras. Câmeras fotográficas à prova d’água são permitidas e imperdíveis para quem quer fazer bons registros do passeio. O uso de snorkel é opcional, eu fui sem ele e não me arrependi, pois há trechos em que a água do rio é turva e não dá para ver muita coisa.

Próximo à entrada do rio ficam os armários, que já estão incluídos no ingresso “Plus” e que podem ser alugados por quem tem o ingresso básico. Eu deixei ali minha mochila, telefone e câmera fotográfica. O armário é trancado e a chave é presa numa corda que pode ser colocada no pescoço do visitante.


Guarda-volumes antes do rio subterrâneo


Alguns pertences podem ser colocados numa bolsa lacrada para serem retirados no final do percurso. Como o final do rio subterrâneo fica lá do outro lado do parque, é muito longe para retornar ao armário e pegar todos os objetos de volta logo em seguida, por isso existe essa opção da bolsa para que alguns objetos possam ser retirados logo depois do rio. O número da bolsa é anotado na pulseirinha do parque e depois para pegá-la de volta basta mostrar o número no quiosque de retirada.

Quem não utiliza os armários pode colocar todos os pertences nessa bolsa, pois ela é bem grande.


Quiosque para guardar objetos nas bolsas antes do rio subterrâneo


Depois de despachar meus objetos na bolsa, peguei os equipamentos para entrar no rio. As nadadeiras e os colete salva-vidas estão disponíveis para todos os visitantes e ficam separados por numeração e tamanho.


Retirada de equipamentos para o rio subterrâneo


Retirada de equipamentos para o rio subterrâneo


Logo na entrada do rio, um instrutor do parque pergunta qual caminho você quer seguir e explica as diferenças. Há três percursos de rio disponíveis: um mais aberto, um mais fechado e escuro e outro que é meio termo, com partes abertas e fechadas. Eu escolhi esta terceira opção, que se não me engano se chamava “rota maya” ou “percurso maya”.

Como o rio é bem longo, o passeio é um pouco demorado e pode ser cansativo para quem não tem tanto preparo físico. Durante o percurso do rio há várias saídas de emergência para quem fica cansado ou para quem não está gostando da atividade.


Entrada de um dos percursos do rio subterrâneo


O trecho inicial do rio fica a uns quatro ou cinco metros da superfície, com grandes paredões de pedra acompanhando o percurso.


Rio subterrâneo no Xcaret

Há trechos que são muito escuros, passando por cavernas das mais variadas alturas. Numa delas havia até morcegos!


Caverna durante o passeio do rio subterrâneo


O percurso que eu escolhi foi alternando entre áreas abertas e fechadas e na parte final o rio ele ainda passou por um trecho bem interessante abaixo das raízes das árvores.


Rio subterrâneo sob raízes de árvores


Depois de uns 40 minutos chegamos à parte final do rio, onde fica o quiosque para a retirada da bolsa com os pertences deixados antes do rio. Neste local há banheiros, duchas de água doce e também toalhas para se secar.


Quiosque para retirada dos pertences no final do rio subterrâneo


O rio termina numa parte bem próxima ao mar, um espaço bem bonito para tirar fotos e que possui várias redes para descansar.


Mar do caribe mexicano junto ao Xcaret


RESTAURANTE

Há alguns restaurantes espalhados pelo Xcaret que servem almoço para os visitantes. Uma refeição com bebidas já está incluída para os que optaram pelo ingresso Plus, mas quem tem o ingresso normal também pode comer no local, pagando à parte.

Eu almocei no maior dos restaurantes, cujo nome é La Laguna, que tinha um buffet bem variado, com vários pratos da culinária mexicana e também da cozinha internacional, com saladas, massas, carnes, peixes, além de sobremesas.


Restaurante La Laguna


Na minha visita ao Xcaret acabei não conhecendo todas as atrações do parque, pois é quase impossível visitar tudo em um único dia. Cheguei lá por volta das 09h00 e fui embora um pouco depois das 16h00. Poderia ter chegado mais cedo e ido embora mais tarde para curtir mais do parque e assistir ao último espetáculo, mas considerei este tempo o suficiente para me divertir nas atrações que me interessei em conhecer.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo